quarta-feira, 5 de maio de 2010

O fardo das ovelhas

"Obedecei aos vossos guias, e sede submissos para com eles; pois velam por vossas almas, como quem deve prestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo; porque isto não aproveita a vós outros." (Hebreus 13:17)

Submissão é obedecer com amor, é estar abaixo da mesma missão e é isso que devemos gerar nas outras pessoas, não simplesmente esperar que elas nos obedeçam. É isso que Deus quer de nós e é isso que devemos querer dos que estão “abaixo” de nós, como um só corpo, onde ninguém é melhor que ninguém, onde cada um tem sua função, mas todos são iguais perante Deus.

"(...) Pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes tornando-vos modelos do rebanho." (I Pedro 5:2-3)

Hoje em dia não é mais o espírito santo que trás constrangimento aos nossos irmãos, somos nós, não é mais Deus que os julga, mas infelizmente nós. Por isso muitos acabam saindo da igreja, obedecem por fora, mas por dentro estão queimando de ódio e não de amor, podem até obedecer no começo, pois acabaram de conhecer Jesus e estão engatinhando na fé então se a voz de Deus é a voz do pastor, amém. Mas ai vem as decepções e infelizmente seu coração não está preparado. Foi ensinado a obedecer, mas não por amor, simplesmente um “não faça isso ou aquilo” já bastava. Só que começou a se questionar, simplesmente não sabia por que “não fazia isto ou aquilo” só não fazia, ninguém o tinha explicado o porque de nada. Descobriu que a igreja não é um lugar de pessoas perfeitas, e isso era muito pra ele/ela, pois o mundo de onde vinha era cheio de pessoas imperfeitas, e cansado delas procurou a casa do Pai achando que finalmente ali não haveria pessoas imperfeitas ou más, todas seriam puras e perfeitas, mas todos nós sabemos que isso não é verdade.

Só não sabemos muitas vezes que somos Jesus pra alguém. Pensa só: se uma pessoa do seu circulo social só conhece Jesus de ouvir falar mesmo, e sendo você cristão, o mais perto de uma imagem de “quem é Jesus” que essa pessoa pode ter é você. Você é Jesus pra alguém. Tenha isso na sua consciência, mas não como um fardo pesado a carregar, e sim uma alegria por ser o embaixador, o representante de alguém tão maravilhoso como Jesus. Só não fique muito preocupado em errar por ter tamanha responsabilidade em mãos, porque assim o máximo que você vai se tornar é o embaixador da frustração, pois apesar de ser a figura de Jesus pra alguém, você ainda é um ser humano imperfeitamente normal e como se diz: errar é humano... agora repetir o erro é burrice. O importante é ter em seu coração que as pessoas vigiam mais seus atos que suas palavras. As palavras têm sua força, mas elas são o arco e suas ações a flecha. De que adianta o arco sem a flecha? Acho que melhor do que falar de Jesus pra alguém é ser Jesus pra alguém.

Afinal a Bíblia é uma arma, pelos justos usada como instrumento de salvação, por outros como instrumento de manipulação (e isso fica bem claro naquele filme “O livro de Eli”), mas se não colocada em pratica por aqueles que a carregam, será conhecida apenas como um livro sagrado pra alguns, e não como palavras de Deus a todos os homens.

Um comentário:

Pastor Marcello Matias disse...

ótimo post!!!!!!!!!!

http://prmarcello.blogspot.com/