sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Dos 7.. a Inveja.

Inveja e ingratidão andam lado a lado, como dois amigos hipermétropes ( que não enxergam de perto, mas possui boa visão de longe ) ou seja não conseguem ver suas bençãos, sua sorte, só a do próximo. E o invejoso vai além do ingrato que fica reclamando de sua vida, ele deseja as coisas do outro, seu status, posses e habilidades. Não só fere o mandamento do amor como venho falando, mas até o próprio conjunto dos Dez mandamentos:

"10º- Não cobiçarás a casa do teu próximo, não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma do teu próximo."

O irônico é que a hipermetropia diminui com o crescimento do olho, termo que geralmente é usado pra simbolizar cobiça e até gula ( olho gordo ). Mas voltando ao assunto, a inveja e a ingratidão ferem o espirito de contemplação que Deus colocou em nós. Hein.. como assim?

"A contemplação é a mais alta expressão de vida intelectual e espiritual do homem. É a própria vida do intelecto e do espírito, plenamente despertada, plenamente ativa, plenamente consciente de que está viva. É um espanto espiritual, uma admiração. Um temor espontâneo, reverencial, diante do caráter sagrado da vida, do ser. É gratidão pelo Dom da vida, pela consciência despertada, pelo ser. É a consciência viva do fato de que, em nós, a vida e o ser procedem de uma Fonte invisível, transcendente e infinitamente abundante. A contemplação é, acima de tudo, a consciência da realidade dessa Fonte. Ela conhece a Fonte, obscuramente, de modo inexplicável, mas com uma certeza que vai além, tanto da razão como da simples fé."
(Thomas Merton em "Novas sementes de contemplação" vi esse texto no blog do brother Hélio).

Pois é, contemplação é viver a vida sem sua hipermetropia espiritual, é olhar pra sua vida e para o que está perto de você e dizer "Graças a Deus véi!"; é olhar sim para o próximo, estando ele longe ou próximo, mas sem desejar as suas posses e sim perguntar: Você precisa de alguma coisa? um abraço, um carinho, sei lá! É deixar a miopia espiritual de só ver seus problemas, mas enxergar os do outro. Contemplar é deixar a inveja e a ingratidão no banco até o apito final do jogo da vida. Se é que a vida é um jogo.

Ter amor próprio é dizer: Cristo é a minha suficiencia! e amar sua vida e quem você é.
Amar ao próximo é: amar ao próximo e não o que ele tem. Não é amar o que ele faz, o que ele possui ou o seu status social. Isso tem outro nome: Inveja. Amar o próximo é deixar de amar tudo aquilo que o mundo te diz pra amar, e ainda poder olhar pra aquela pessoa e dizer: Eu te amo!

Isso é o amor verdadeiro. Aquele que Jesus nos ensinou e nos esquecemos a muito tempo como faze-lo e como vive-lo. Por isso que a inveja vai contra o mandamento do amor, pois ela é uma versão falsa do verdadeiro amor.

2 comentários:

Hélio disse...

Brother Diego,

vim ler este texto porque estou pensando em escrever um texto sobre gratidão, e fiquei feliz por ver que você conseguiu fazer uma salada de inveja, ingratidão e contemplação e - INCRÍVEL - não é que deu liga?... rs.... ficou excelente o texto, meus parabéns! Aprendi mais uma!

Abração e fica com Deus!

Diego Ruas disse...

Heheh.. valeu meu brother!!
sempre que posso vejo seu blog também.. se quiser usar o texto fique a vontade!

Um abraçoow