segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Avatar : Uma parábola sobre o homem e Deus?

Aviso : esse texto pode conter spoilers !

Creio que talvez no fundo esse filme em sua essência se trate de uma parábola moderna sobre o relacionamento da humanidade com o Espirito de Deus, criador do Céu e da Terra e de tudo que nela habita. Apesar de no filme também haver várias analogias com o imperialismo norte-americano e com a destruição da natureza pelo homem, o mais interessante pra mim foi o relacionamento dos Na'Vi ( uma espécie de humanóides desse planeta fictício do filme ) com seu Deus, chamado Eywa. O interessante é que o nome de Deus em aramaico e hebraico, YaHVeH (vertido em português para Javé) ou YeHoVaH (vertido em português para Jeová), são originais do tetragrama YHVH ( Yud-Hêi-Waw-Hêi ) o qual os antigos Hebreus diziam ser o próprio som da respiração. Se você parar pra analisar, as três consoantes hebraicas que formam o Tetragrama ( pois uma delas se repete ) se reorganizadas formam Eywa ( Hêi-Yud-Waw ). Pura coincidência? Talvez, pra mim uma analogia muito bem feita. No filme os Na'Vi estão ligados com Eywa e todos os seres vivos de Pandora (o planeta deles ) através de uma rede neural bio-botânica, cuja central é a Árvore da Vida ( olha outra analogia ai ).

O Avatar é o herói do filme, que assume essa forma de Na'Vi inicialmente pra ajudar os humanos mas que acaba se juntando a causa dos Na'Vi. A palavra "avatar" quer dizer "encarnar" ou " se fazer carne", que foi exatamente o que Jesus fez ( "...e o verbo era Deus e o verbo estava com Deus.. e o verbo se fez carne e habitou entre nós." João1:1 e 14 ). A natureza, criada por Deus, e onde o "..Espirito de Deus pairava sobre as águas." ( Gênesis 1:2 ) e ainda paira sobre ela, sobre as árvores, sobre nós. Ele não se agrada dessa destruição maluca de sua criação, pois o homem foi criado para viver em harmonia com a natureza e tudo que nela habita. Esse filme trata disso, que no meio do caminho perdemos a nossa essência, nosso contato com Deus, seu Espirito e a natureza, pois hoje são considerados primitivos e irracionais aqueles que defendem a natureza e acreditam em Deus. Hoje a infeliz moda capitalista e egocentrista diz que devemos buscar o nosso pseudo-prazer ditado pela mídia a custa de tudo, da destruição da natureza, da negação de Deus e do amor e perdão com o próximo.

Esse filme ( apesar de ser cheio de clichês de filmes americanos, porque afinal o diretor e roteirista é o mesmo de Titanic, Exterminador do Futuro e Aliens ) não é mais um filme de ação e drama, mas nos faz pensar e refletir. Apesar de não ter visto em 3D achei massa!

Depois falo mais sobre isso... té próximo post!

4 comentários:

A Banda disse...

Yudi... ótima analise... parabéns cara... tá com um olhar critico aguçado!!! =D

mandou mt!!!

abraços

Glauce disse...

Diego..irmão....q lindo seu ponto de vista...cara tô com orgulho de ti! E muiiito!
Bjao...te amo

Anônimo disse...

Muito bom teu pensamento. Assisti o filme, mas não tinha pensado nesse assunto, que na verdade tem tudo haver mesmo. Como Deus é grandioso e como hoje tudo que é feito tem algo que ele já havia feito ou dito. Boa noite.
Fique com Deus que ele lhe dê muita sabedoria pra escrever post's bons como este. Abraços.

Diego Ruas disse...

pois é Anônimo.. fiquei triste foi com a quantidade de textos em blogs cristãos demonizando esse filme.. falando q é hinduismo e nova era e blá blá blá!!

Preferi analisa-lo de uma forma mais profunda e inteligente de um ponto de vista cristão onde o filme me acrescenta-se alguma coisa! esse povo q demoniza tudo é f*! huahuahuuHAuHA

Mas é isso ai que bom q você e a galera gostou da analise!

Abraçãoo