quarta-feira, 4 de maio de 2011

Che: Quem é o mito, quem é o homem?


O rosto de Che estampa camisetas e os mais diversos produtos pelo mundo todo, se fosse uma marca registrada com certeza estaria entre as que mais lucram no planeta. Che virou um cliChê, um mito capitalista, mera estampa de produtos anti-capitalistas (incoerência não?). Muitas pessoas superestimam, endeusam e cultuam sua imagem quase religiosamente, pois talvez não conheçam também seu lado mais sombrio.

Mais provável que sua imagem tenha se tornado maior que sua persona, ou seja, talvez não seja ele o cultuado, somente se apropriaram de sua imagem para tal, como um símbolo de revolta e um sinônimo de revolução, e, sendo assim não necessariamente essas mesmas pessoas apoiem Che e suas idéias. O mito se tornou maior que o homem.

Afinal, o que você acha que ela representa: a luta pela mudança ou o luto pelo guerrilheiro?

3 comentários:

Hélio disse...

Mano Diego,

Respondendo diretamente a tua pergunta, eu acho que o Che é exatamente isso, um símbolo, o que encaixaria minha resposta na "luta pela mudança".

Escrevo isso sem nenhum tipo de idolatria ou saudosismo comunista, até porque conheço Cuba e conversei muito com os cubanos lá, o que me deixaria sem qualquer ilusão socialista utópica, se eu por acaso a tivesse.

Entretanto, isto não me impede de respeitar o símbolo, o ícone ou o mito, nem de reconhecer seus erros. Acho que o Che foi um produto de seu tempo, de maneira até muito casual, pois seu caminho improvável até Fidel e Cuba é daquelas que todo garoto sonha até hoje em fazer, não exatamente com o mesmo roteiro e destino, ou ideologia, mas como um sonho de juventude que merece ser vivido e, por que não dizer, arriscado.

Aqueles eram tempos difíceis, complicados, em que tudo era preto ou branco e não eram permitidos tons de cinza. A radicalização de lado a lado impedia, na maioria das vezes, que se chegasse a uma negociação razoável, e neste processo muita gente boa se perdeu e muitas decisões erradas foram tomadas.

Permanece para mim, portanto, o símbolo de sonho e fantasia que eu pouco vejo na juventude atual, mais preocupada, como eu, com quanto tempo vai demorar pra chegar o iPad 2.

Abraço!

Helen Araujo disse...

Só modismo muitas vezes.

MIDIAN TAVARES disse...

É um fato que a figura do mito tomou os rumos de uma política Capitalista, pois sua imagem é usada pelo próprio sistema que o mesmo tanto negou, mas não devemos esquecer a sua bravura e coragem em enfrentar um inimigo tão perigoso como o Capital, é por esse e diversos outros motivos que Ernesto Rafael Guevara de la Serna, conhecido como "Che" Guevara tem e precisa ser lembrado. A figura de cristo não é idolatrada e lembrada pelos seus feitos: amor e luta contra as injustiças como falam os cristãos?
sou jovem e sei que A MINHA GERAÇÃO NÃO TEM MAIS REFERENCIAL E NÓS PRECISAMOS!

Midian Tavares!
felicidades!